Segunda-feira
17 de Junho de 2024 - 

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
32ºC
Min
24ºC
Chuva

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Rio de Janei...

Máx
35ºC
Min
27ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
32ºC
Min
24ºC
Chuva

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Rio de Janei...

Máx
35ºC
Min
27ºC
Parcialmente Nublado

Maioria do STF vota para validar lei do CE que proíbe pulverização aérea de agrotóxicos

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria de votos nesta sexta-feira (26) para validar uma lei do Ceará que proíbe a pulverização aérea de agrotóxicos na agricultura do estado. A Lei 16.820 veda a pulverização área de químicos no estado desde 2019 e foi questionada por produtores, que alegaram prejuízos às lavouras. O caso começou a ser analisado no plenário virtual da Corte em novembro de 2021. A relatora, ministra Cármen Lúcia, votou para considerar a lei constitucional. LEIA TAMBÉM: STF começa a julgar validade de norma do Ceará que proíbe pulverização aérea de agrotóxicos Segundo a ministra, "As manifestações técnicas juntadas aos autos apontam os perigos graves, específicos e cientificamente comprovados de contaminação do ecossistema e de intoxicação de pessoas pela pulverização aérea de agrotóxicos". "Demonstrada fica, assim, a proporcionalidade da vedação estabelecida na norma impugnada, em favor da defesa do meio ambiente e da saúde humana", declarou a relatora. O ministro Edson Fachin acompanhou o voto. O julgamento foi retomado no dia 19 de maio, com os votos favoráveis à manutenção da norma dos ministros: Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso e André Mendonça. A ação No STF, a lei foi questionada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A entidade afirmou que cabe à União legislar sobre o tema e que, por isso, essa lei fere a pisão de competências estabelecida na Constituição. A CNA também disse que a lei viola os princípios constitucionais da livre iniciativa e da livre concorrência. “A norma estadual dispondo de maneira diametralmente oposta ao que prevê a regulamentação federal da matéria, de modo que a competência estadual, que é suplementar, violou as normas gerais estabelecidas pela União, bem como invadiu competência privativa do ente federal", afirmou a confederação. De acordo com a CNA, os defensivos agrícolas são utilizados como remédio para as plantas e sua forma de aplicação é essencial para a fruição da lavoura e, consequentemente, para que não falte alimentos à população. Em 2019, o governo federal aprovou novas regras para a classificação dos agrotóxicos – veja no vídeo abaixo:
26/05/2023 (00:00)
Visitas no site:  1353994
© 2024 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.